Futuro das Cidades - Instituto Vedacit

Cidades estão começando a proibir carros pelo mundo

A revista Consumidor Moderno publicou matéria abordando os impactos do transporte dos ambientes urbanos e as discussões em torno do tema em todo o mundo. Segundo a publicação, “carros voadores, veículos autônomos e hyperloop – por um lado, a tecnologia evolui para que os meios de transporte se modernizem e se tornem cada vez mais high tech, por outro, algumas cidades estão apostando em um futuro totalmente livre de carros. O setor de transportes é a maior fonte de emissões de gases de efeito estufa. O Acordo de Paris, assinado por 195 países, tem como objetivo reduzir a emissão de poluentes e limitar o aumento da temperatura global a até 2°”.

O texto afirma que alguns países estão engajados no projeto estabelecendo zonas ou cidades inteiras onde a circulação de veículos motorizados é proibida, e recursos alternativos de mobilidade são oferecidos, como ciclofaixas, patinetes ou passes de trens gratuitos. Um desses exemplo é Amsterdã, na Holanda, “uma cidade muito conhecida pelas bicicletas, tendo uma ‘população’ de bikes superior a de habitantes. Apesar do altíssimo engajamento da população com este meio transporte, o governo holandês ainda não se deu por satisfeito: o planejamento urbano da cidade visa proibir todos os veículos movidos a diesel e a gasolina até 2030”.

Outro exemplo vem de Oslo, na Noruega, uma das cidades mais recentes a executar uma política livre de carros em sua zona central. Diz a matéria que “de acordo com a BBC, muitos motoristas e empresários do país foram contra esta implementação, e se mostraram céticos em relação à funcionalidade da mudança. Porém, foram obrigados a voltar atrás no argumento, uma vez que a economia local melhorou em diversas áreas”. E completa: “muitos locais da cidade, antes vazios, passaram a receber pedestres, passeando e consumindo em estabelecimentos. As lojas estão mais cheias, o trânsito está livre, o ar está mais limpo e os espaços estão sendo mais bem utilizados – os estacionamentos deram lugar para ciclofaixas e outras soluções urbanas.”

Segundo a publicação, outras cidades já adotaram a política de eliminar os carros nos seus centros urbanos, como é o caso de Madri, na Espanha, Fez, no Marrocos e Fazilka, na Índia. “Em Paris, o primeiro domingo de cada mês é livre de carros. Nova Iorque possui limitações em certas regiões, como o Central Park e a Times Square. Em São Paulo, a Avenida Paulista é fechada para carros aos domingos e aberta para passeios a pé, práticas de esportes, feiras e shows. Outros locais apostam em cidades sem trânsito para fomentar o turismo, como Veneza, na Itália, e Giethoorn, na Holanda, onde o transporte é feito totalmente a pé ou a barco”.

A matéria explica que “ao mesmo tempo em que os carros somem de vista, os negócios que envolvem patinetes, bicicletas e carros elétricos ganham cada vez mais força, trazendo outras oportunidades para profissionais. Da mesma forma, ambulâncias, carros de bombeiros e veículos policiais continuam trafegando normalmente em cidades livres de carros. Neste caso, as estradas são substituídas por faixas de tráfego exclusivas e desenhadas em trechos estratégicos de circulação”.

Leia: https://www.consumidormoderno.com.br/2019/11/19/cidades-proibir-carros-mundo/